28.1.09

Ed Lane

Hugh Dillon

Ed é o líder da Unidade Estratégica de Resposta e é também o melhor atirador da equipa. Apesar de ter sido treinado para usar a força, fica constantemente perturbado por ter de o fazer em público para salvar a vida a alguém. Devido à natureza do seu trabalho, Ed tem alguns problemas com a sua mulher, Sophia, e com o seu filho, Clark e sente-se mais ligado aos seus colegas do que à sua família.

Julianna Callaghan

Amy Jo Johnson

Julianna é a única mulher na equipa. É a segunda melhor atiradora, a seguir a Ed, e também faz rappel. Antes de ser trasnferida para a Unidade Estratégica de Resposta, Jules estava na Royal Canadian Mounted Police. Jules sente-se atraída por Sam desde o momento em que entrou para a equipa.

Gregory Parker

Enrico Colantoni

Gregory é o sargeto da equipa e é também um negociador de situações de crise. Como tal, ele prefere resolver as situações através do diálogo do que através da força. Aprendeu as técnicas de negociação enquanto viveu com o seu pai que era muito duro. É divorciado e não tem muito contacto com o seu filho devido à sua profissão, e essa é a única coisa de que se arrepende. Greg lembra sempre os seus colegas que é preciso manter a calma durante uma operação da Unidade.

Lou Lewis Young

Mark Taylor

Lewis ingressou na polícia e está na equipa de Ed como operador de armas não-letais depois de ter abandonado a sua vida de gangster. Os seus conhecimentos sobre gangs de rua são uma ajuda preciosa para a Unidade Estratégica de Resposta. O facto de Lewis estar a cargo das armas não-letais, por vezes, deixa-o um pouco desgostoso.

Sam Braddock

David Paetkau

Sam era agente de operações especiais no Canada’s Joint Task Force 2. Juntou-se à equipa de Ed para substituir Roland ‘Rolie’ Cray, depois de se ter envolvido nas operações de combate no Afeganistão. Devido à sua experiência no Afeganistão, Sam chegou ao ponto de acreditar que a força letal é mais eficaz que o diálogo para resolver algumas situações, o que não é bem visto aos olhos de alguns dos seus colegas. Desempenha maioritariamente as funções de atirador na equipa e parece estar atraído por Jules devido às suas funções e também por ser a única atiradora da equipa.

Dra. Amanda Luria

Ruth Marshall

Amanda trabalha para a Unidade Estratégica de Resposta como psicóloga, especialmente em casos com criminosos violentos, em que há negociações de reféns ou em situações de stress pós-traumático.

Mike 'Spike' Scarlatti

Sergio Di Zio

Spike está a cargo das demolições e é um especialista em técnologia táctica. Ao mesmo tempo que tenta aprender com os veteranos da Unidade, tenta também ser um elemento importante graças ao seu próprio trabalho. Spike tem um robot anti-explosivos a quem chama “Babycakes”.

Kevin Wordsworth

Michael Cram

Wordy é o outro elemento da equipa que é casado, para além de Ed, e é especialista em combate de proximidade e em armas não-letais, tal como Lewis.


link do postPor Muito Mais, às 12:23  comentar

Polícias de elite combatem o crime e salvam vidas em situações de alto risco.


Título Original:Flashpoint

Género:Drama / Acção

Episódios:Temporada 1 – 13 episódios


Autores: Mark Ellis e Stephanie Morgenstern
Elenco: Hugh Dillon, Amy Jo Johnson, David Paetkau, Enrico Colantoni, Sergio Di Zio, Michael Cram, Mark Taylor e Ruth Marshall
Produtores Executivos: Anne Marie La Traverse e Bill Mustos
Produção: Avamar Entertainment em associação com Pink Sky Entertainment

Emissão: Quintas-feiras, às 22h20
Repetição: Sábados, às 15h20 e quartas-feiras, às 00h40

Flashpoint é um drama de acção que retrata as emoções humanas e como estas e o dom da palavra podem mudar as intenções de outros. A série cujo primeiro episódio foi assistido, nos Estados Unidos, por 8,23 milhões de espectadores, mostra-nos, sob o olhar policial, o mundo do crime, enquanto os membros de uma equipa táctica altamente preparada treinam as técnicas de negociação e definição do perfil psicológico para entrar na mente do suspeito e salvar vidas.


Quando a Unidade Estratégica de Resposta (UER) – uma equipa de polícias de elite – chega, as regras mudam: o mau da fita será apanhado, só que ainda não o sabe. Esta unidade lida diariamente com situações de alto risco, mas não se nega a nada: resgata reféns, persegue gangs e desactiva bombas, acalma e demove adolescentes suicídas e protege o Papa.


A equipa é perita no manuseio de um arsenal de armas poderosas e delicadas: snipers, granadas e tasers. Estes homens e mulheres “à prova de bala” escalam edifícios e até vêem através das paredes, mas são diferentes das restantes equipas SWAT: o seu arsenal inclui o dom da palavra e o conhecimento da intuição humana, um instinto para quando é tempo de negociar e quando a solução pede “algo mais”.


Na cena do crime são eles que mandam, ninguém conhece os riscos e os procedimentos melhor que eles. Isto leva a que muitas vezes os inspectores séniores sejam postos de lado para que a UER possa entrar em acção; os inspectores não gostam de ser afastados para dar lugar aos agentes da unidade especial.


É um trabalho difícil, daqueles que carregam um tipo de pressão que apenas os colegas – o grupo de “irmãos” – consegue realmente entender. Na vida destes profissionais de guerra, o stress assombra todas as suas decisões e pode cobrar um pesado preço a famílias, amigos e amantes. No trabalho eles jogam segundo as regras, mas também as contornam se necessário. Fora do trabalho, todas as apostas caem.

link do postPor Muito Mais, às 12:11  comentar